Lee Kun-Hee, ex-presidente do grupo sul-coreano Samsung, foi condenado nesta quarta-feira a uma pena de três anos de prisão com sursis por evasão fiscal, embora tenha sido absolvido da acusação de abuso de confiança.

A Promotoria pediu uma pena de sete anos de prisão por evasão fiscal e abuso de confiança e uma multa de 350 bilhões de wons (222 milhões de euros).

Lee, de 66 anos, que presidiu a Samsung durante vinte e deixou a empresa em abril devido a uma investigação por corrupção, era acusado de ter desviado do fisco 112,8 bilhões de wons (72 milhões de euros).

jkw/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.