Ex-presidente da Bolívia condenado por difamação

Jorge Quiroga foi condenado a dois anos e oito meses de prisão por "difamações e calúnias" contra um banco do Estado.

AFP |

O ex-presidente da Bolívia Jorge Quiroga (2001-02) foi condenado a dois anos e oito meses de prisão por "difamações e calúnias" contra um banco do Estado.

"O juiz já emitiu a sentença contra (Jorge) 'Tuto' Quiroga. No sábado foi lida a sentença na qual o juiz o condena a dois anos e oito meses", disse à AFP René Arzabe, advogado do Banco Unión, que iniciou o processo há um ano.

Quiroga declarou em 2009 que o "Banco Unión, ao qual o Estado e o MAS (Movimento Ao Socialismo, partido no poder) se agarraram, se tornou uma lavanderia de recursos, de recursos venezuelanos, de recursos de corrupção", mas não apresentou provas.

Arzabe explicou que no sábado foi lida a parte resolutiva da decisão e que na próxima quarta-feira será divulgada, em audiência pública, toda a sentença, incluindo as alegações das partes.

O advogado disse ainda que a acusação pretende apelar para obter uma pena maior contra Quiroga.

Se o juiz ratificar na quarta-feira a decisão de dois anos e oito meses, Quiroga pode ser beneficiado pela "suspensão condicional" e não ser preso, mas se a condenação passar de três anos e um dia terá que cumpror a pena em uma penitenciária de de La Paz.

A sentença acaba definitivamante com o sonho de Quiroga de ser candidato à presidência da Bolívia, a não ser que ele consiga a reabilitação em uma votação no Senado, como estabelece a Constituição.


    Leia tudo sobre: Jorge Quirogabolívia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG