Ex-presidente Alberto Fujimori é condenado no Peru

O ex-presidente do Peru Alberto Fujimori, de 70 anos, foi condenado nesta sexta-feira pelas mortes de 25 pessoas durante o seu governo (1990-2000), após um julgamento de mais de um ano. Fujimori foi considerado o autor intelectual das matanças de Barrios Altos, em 1991, que deixou 15 mortos, entre eles uma criança de 8 anos.

BBC Brasil |

O Grupo Colina, um comando militar que operou no país durante o seu governo, cometeu os assassinatos como parte de uma operação contra supostos extremistas.

O ex-presidente também foi considerado culpado pelos assassinatos ocorridos em La Cantuta, região serrana próxima a Lima. Em 1992, nove estudantes e um professor da Universidade Nacional Enrique Guzmán y Valle foram sequestrados e mortos.

Fujimori foi ainda considerado responsável pelo sequestro do jornalista Gustavo Gorriti e do empresário Samuel Dyer, mantidos reféns no porão do Serviço de Inteligência do Exército.

Durante o julgamento, que começou em dez de dezembro de 2007, foram realizadas 160 audiências e ouvidos os depoimentos de 90 testemunhas.

O ex-presidente negou todas as acusações feitas contra ele e disse considerar o julgamento um paradoxo. "Quem livrou o Peru do terrorismo e da instabilidade está no banco dos réus", disse.

A justiça peruana ainda deve anunciar qual será a sentença de Fujimori.

O ex-presidente continuará a enfrentar a Justiça. O próximo processo a ser julgado contra ele será por haver entregue US$ 15 milhões a Vladimiro Montesinos, chefe do Serviço de Inteligência durante seu governo.

Apesar da condenação, Fujimori ainda tem milhares de seguidores no Peru. Sua filha, Keiko Fujimori, deve ser candidata nas próximas eleições presidenciais e lidera as primeiras pesquisas para o pleito de 2011.


Leia mais sobre Peru

    Leia tudo sobre: peru

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG