Por Mohammad Hamid KUNDUZ, Afeganistão (Reuters) - O ex-presidente afegão Burhanuddin Rabbani sobreviveu nesta quinta-feira a uma emboscada do Taliban na província de Kunduz (norte), onde houve confrontos entre militantes e policiais pela segunda noite consecutiva, segundo autoridades.

A violência sobressalta esta região outrora pacata, a uma semana de uma eleição presidencial que os militantes prometem perturbar. Os insurgentes habitualmente agem no sul e leste do Afeganistão, mas agora têm expandido seus ataques para o norte e oeste.

Rabbani, atualmente um parlamentar, apoia Abdullah Abdullah, principal adversário eleitoral do presidente Hamid Karzai, que disputa a reeleição no pleito do dia 20.

O ex-presidente viajava por uma estrada no distrito de Ali Abad quando sofreu a emboscada com granadas de propulsão e tiros, segundo o chefe do distrito, Habibullah Mohtashim.

Rabbani e seus acompanhantes escaparam ilesos, e três militantes morreram em confronto com guarda-costas e policiais, segundo Mohtashim.

Falando de um local não revelado, Zabihullah Mujahid, porta-voz do Taliban, disse que o grupo assumia a autoria do ataque.

A violência no Afeganistão está em sua pior fase desde o início da atual guerra, há quase oito anos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.