Ex-premier israelense, Ehud Olmert, é indiciado por corrupção

O ex-primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert foi indiciado neste domingo por corrupção, anunciaram os assessores do promotor-geral, Menahem Mazouz.

AFP |

"O promotor-geral decidiu indiciar o ex-primeiro-ministro Ehud Olmert e sua secretária particular Shula Zaken", disseram as fontes em comunicado.

"O caso foi apresentado hoje (domingo) ao tribunal de distrito de Jerusalém", diz o texto.

Esta é a primeira vez que um ex-primeiro-ministro é indiciado em Israel, segundo a mesma fonte.

O ex-premiê sempre clamou inocência e renunciou ao cargo em 21 de setembro de 2008, depois de a polícia ter recomendado seu indiciamento pelo caso Talansky, que envolve o recebimento ilegal de centenas de milhares de dólares em doações de campanha, efetuadas pelo empresário judeu americano Morris Talansky, na época em que Olmert era prefeito de Jerusalém.

Ele admitiu ter recebido dinheiro de Talansky, mas afirmou que eram doações legítimas para ajudar as campanhas para sua reeleição na prefeitura e para a liderança do Likud, partido a que pertencia na época.

Ehud Olmert deixou o cargo de primeiro-ministro em meio a pressões por acusações de envolvimento em escândalos, em setembro do ano passado, tendo permanecido à frente do governo até a posse do líder do Likud, Benjamin Netanyahu, no dia 31 de março.

As acusações dizem respeito a acontecimentos ocorridos antes que Olmert se tornasse primeiro-ministro, em 2006. Ele foi prefeito de Jerusalém e ministro da Indústria.

"Olmert está certo de poder provar sua inocência no tribunal de justiça de uma vez por todas", disse seu porta-voz em nota divulgada neste domingo.

Outra acusação é relativa a um pedido de reembolso de despesas com viagens ao exterior. Suspeita-se de que a sobra de despesas com viagens num montante significativo tenha sido transferida por Olmert para uma conta especial que uma agência de viagem gerenciava para ele.

Uma terceira acusação apresentada pelo promotor-geral diz respeito a conflito de interesses. Olmert teria conseguido oportunidades de investimento para um amigo, Uri Messner, quando ocupava o ministério da Indústria.

lbj/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG