Ex-premiê tailandês pede intervenção de rei em crise do país

Bangcoc, 16 abr (EFE).- O ex-primeiro-ministro tailandês Thaksin Shinawatra pediu ao rei, Bhumibol Adulyadej, que intervenha para resolver a crise política que sofre o país pela disputa entre os partidários e opositores.

EFE |

"Acho que é a única pessoa que pode regular isso. Caso contrário, a violência e o confronto serão cada vez maiores, mais e mais", declarou Shinawatra durante entrevista a uma televisão francesa divulgada hoje pela imprensa tailandesa.

Não é a primeira vez em que se pede a intervenção do monarca, reverenciado como um semideus por quase todos os tailandeses, que o consideram o autêntico líder da nação, apesar de, em teoria, não desempenhar qualquer função executiva.

Bhumibol Adulyadej, de 81 anos, não se pronunciou até o momento sobre a crise.

Sobre o ex-líder tailandês, um dos homens mais ricos do país, pesa uma das 13 ordens de detenção emitidas pela Polícia depois que os manifestantes antigovernamentais decidiram, há dois dias, pôr fim a quase três semanas de mobilização para forçar a queda do Governo.

Além disso, o Executivo revogou o passaporte diplomático do ex-líder, aplicando o estado de exceção que vigora desde domingo em Bangcoc e cinco províncias divisórias por causa dos protestos que obrigaram, um dia antes, ao cancelamento de uma cúpula de governantes asiáticos na cidade de Pattaya. EFE grc/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG