Ex-prefeito de NY diz que não concorrerá a Senado nem a governo

NOVA YORK (Reuters) - O ex-prefeito de Nova York Rudolph Giuliani, que ganhou reconhecimento por sua liderança após os ataques de 11 de setembro de 2001, disse nesta terça-feira que não pretende concorrer ao governo do Estado nem para o Senado norte-americano em 2010. Giuliani, que concorreu sem sucesso à Presidência em 2008 pelo Partido Republicano, disse que apoiaria o republicano Rick Lazio para o governo de Nova York.

Reuters |

O ex-prefeito disse que quer manter o foco na sua consultoria, a Giuliani Partners, que venceu um contrato com o Rio de Janeiro para melhorar a segurança antes de eventos esportivos nos próximos anos.

"Tenho compromissos significativos para o próximo ano que tornariam impossível para eu me dedicar em tempo integral a um cargo", disse durante uma entrevista coletiva em Manhattan. "Seria difícil concorrer estando no Brasil".

Giuliani, de 65 anos, tem sido citado como possível candidato para uma cadeira no Senado ou como governador, e seu anúncio deixa dúvida sobre seu futuro político. Ele encerrou seu segundo mandato como prefeito de Nova York no fim de 2001.

Lazio, um ex-integrante da Câmara dos Deputados, perdeu uma indicação ao Senado por Nova York para Hillary Clinton em 2000. Giuliani originalmente era o principal candidato republicano para aquela disputa, mas abandonou a corrida eleitoral por problemas pessoais e de saúde.

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, quer aproveitar a experiência do ex-prefeito nos programas "tolerância zero" e "choque de ordem" para preparar a cidade para grandes eventos, como os Jogos Mundiais Militares, em 2011, a Copa do Mundo, em 2014, e os Jogos Olímpicos, em 2016.

(Reportagem de Daniel Trotta e Ellen Wulfhorst)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG