Exposição em Londres reúne tesouros escondidos por judeus durante pogroms

Alianças, moedas, pedras preciosas, broches e outros objetos escondidos por judeus na época dos bárbaros pogroms, quando a peste negra grassava a Europa, estarão expostos a partir desta quinta-feira, em Londres, 650 anos depois de terem sido encontrados.

AFP |

A mostra, organizada pela Wallace Coleccion, se encerra no dia 10 de maio, e inclui dois "tesouros": um, descoberto em 1998 em Erfurt, Alemanha, o outro, desenterrado em Colmar, na França, em 1863.

"Enquanto a peste negra dizimava a população da Europa no século XIV, os judeus foram transformados em bodes expiatórios", contou Steven Duffy, diretor de exibições da Wallace Collection.

"Acusados de envenenar os poços, muitos conseguiram escapar, deixando para trás tudo o que possuíam. Antes de fugir, porém, enterravam seus bens mais preciosos, na esperança de recuperá-los ao voltar", explicou.

A maioria, no entanto, jamais retornou. Foram vítimas da peste negra, que matou um terço da população européia, ou dos pogroms, violentos ataques contra as comunidades judaicas do Leste europeu. Só em Erfurt, 1.000 judeus fueron massacrados no dia 2 de março de 1349.

"Os tesouros encontrados no bairro judeu de Colmar e perto da sinagoga do século XI em Erfurt, a mais antiga da Europa, foram certamente enterrados por judeus", afirmou Duffy.

O tesouro de Erfurt "continuaria sepultado se não fosse por escavações arqueológicas", realizadas antes da construção de um edifício de apartamentos, informou a alemã Karin Sczech, curadora da mostra da Wallace junto com Christine Descatoire, especialista do museu parisiente de Cluny.

A exposição lembra em cada passo a devastação causada pela peste - que, acredita-se, entrou na Europa pela Sicília em 1347, vinda de Constantinopla. Entre seus itens mais interessantes, há um par de alianças de noivado ocas, com uma pequena bola de metal dentro, que faz o barulho de um guizo quando agitada. Os anéis possuem ainda a inscrição "Mazal Tov", que em hebraico significa "Boa Sorte".

Outra jóia encontrada em Erfurt é um pequeno frasco de perfume, feito em prata, envolvido em um tecido de algodão trazido da Índia. "Por si só, já é extraordinário o fato desse material ter chegado tão longe para um pequeno povoado alemão", destacou Sczech.

ame/ap/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG