Ex-policiais servo-bósnios são condenados por massacre de Srebrenica

Sarajevo, 29 jul (EFE).- Sete ex-policiais servo-bósnios foram condenados hoje pelo Tribunal da Bósnia-Herzegovina, em Sarajevo, a um total de 284 anos de prisão, no primeiro julgamento realizado perante esta Corte por genocídio dos muçulmanos de Srebrenica.

EFE |

Três dos condenados receberam pena de 42 anos de prisão, três de 40 e outro de 38 anos, enquanto quatro foram absolvidos.

Os réus foram acusados da execução de mais de mil muçulmanos bósnios no armazém de uma cooperativa agrícola em Kravica, próximo a Srebrenica, em 13 de julho de 1995.

O processo judicial contra as 11 pessoas começou em 2006, após elas serem detidas pela Polícia servo-bósnia um ano antes nas localidades de Zvornik, Vlasenica e Bratunac, no leste do país, acusadas de terem participado do massacre de Srebrenica.

Cerca de oito mil muçulmanos foram assassinados em julho de 1995 depois que o Exército servo-bósnio conquistou o leste de Srebrenica, região então protegida pela ONU.

Um dos principais acusados de genocídio em Srebrenica, o ex-presidente da República Sérvia da Bósnia Radovan Karadzic, foi preso no dia 21 nas proximidades de Belgrado.

Karadzic será extraditado para o Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII), em Haia, onde será processado. EFE nh/wr/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG