Explosões sacodem Bagdá e deixam ao menos 13 mortos

Por Aws Qusay BAGDÁ (Reuters) - Explosões mataram pelo menos 13 pessoas em Bagdá na terça-feira, sendo que uma teve como alvo um membro xiita do primeiro órgão do governo iraquiano apoiado pelos Estados Unidos.

Reuters |

Uma bomba explodiu perto de um comboio de veículos no qual viajava Ahmed al Barak, um dos 25 integrantes do Conselho de Governo Iraquiano, órgão interino criado após a invasão de 2003.

Barak, que hoje chefia um comitê do governo sobre disputas de propriedade, não se feriu no ataque lançado no distrito central de Karrada, em Bagdá, mas a polícia disse que a explosão matou pelo menos uma pessoa e feriu pelo menos quatro.

O Conselho de Governo, cujos integrantes foram escolhidos a dedo por Washington, assessorou as autoridades norte-americanas que governaram o Iraque até a instalação de um governo iraquiano soberano interino, em junho de 2004.

Sete pessoas morreram numa explosão separada num estacionamento na zona leste de Bagdá, disse a polícia, e quatro morreram e oito ficaram feridas com a explosão de uma bomba na zona norte da capital.

Uma quarta bomba, colocada num carro em Karrada, matou uma pessoa e feriu cinco. Homens armados mataram um policial e feriram três na zona leste da cidade. Na grande favela de Sadr City, na capital, um transeunte morreu e três ficaram feridos numa troca de tiros entre tropas iraquianas e homens armados postados sobre telhados, perto de uma cerimônia memorial que lembrava o aniversário da morte de um clérigo xiita. A informação é do porta-voz de segurança Qassim Moussawi.

O derramamento de sangue na capital iraquiana chama a atenção para a fragilidade da calma emergente no país exaurido pela guerra.

Enquanto explosões de carros-bombas, bombas em estradas e ataques armadas ainda acontecem diariamente, o declínio na violência vem sendo dramático. Em outubro, o número de mortes violentos caiu para o nível mais baixo desde o início da guerra, tanto em número de militares norte-americanos quanto de civis iraquianos mortos.

    Leia tudo sobre: bagdá

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG