Explosões no Paquistão deixam pelo menos um morto e 50 feridos

(atualiza com novo número de feridos, de explosões, informações do Ministéiro do Interior e localização da sexta deflagração) Islamabad, 7 jul (EFE).- Pelo menos uma pessoa morreu e outras 50, entre elas oito crianças, ficaram feridas em sete explosões de baixa intensidade registradas no intervalo de uma hora em diferentes pontos da cidade paquistanesa de Karachi (Sul), informou uma fonte policial.

EFE |

A fonte, citada pela rede de televisão privada "Geo TV", acrescentou que os feridos, alguns deles em estado crítico, estão sendo transferidos para hospitais da região, na qual foi declarado estado de emergência.

Os artefatos eram de baixa intensidade, e não causaram grandes danos. As explosões tinham como objetivo criar tensão na cidade", explicou ao canal "Dawn" o oficial da Polícia de Karachi Waseem Ahmed.

O ministro paquistanês do Interior, Rehman Malik, disse em declarações a "Geo TV" que as explosões pareciam ter sido planejadas e que serão abertas investigações para esclarecer o ocorrido.

"Queriam desestabilizar a cidade. Tiveram como alvo uma comunidade étnica determinada", ressaltou Malik, em referência à grande presença de cidadãos de etnia pashtun nas zonas atacadas.

Segundo a "Geo TV", a explosão que matou uma pessoa teve aconteceu na colônia de Qasba na passagem de uma motocicleta.

Outras duas explosões ocorreram na zona de Banaras, uma em um despejo e a outra em um passeio.

Uma quarta explosão foi registrada na passagem de uma caminhonete, próximo a uma mesquita na zona de Shahra-e-Noor, enquanto outra aconteceu na área de Hyderi, em um local perto de uma escola infantil.

Uma sexta aconteceu na região de Mangophir, onde uma bomba depositada em uma bicicleta explodiu.

Dezenas de pessoas tomaram as ruas após as explosões, iniciando brigas com paus e pedras.

A Polícia e os paramilitares se deslocaram aos locais afetados, e as autoridades declararam "alerta máximo" na cidade.

O primeiro-ministro paquistanês, Yousaf Raza Gillani, em viagem oficial à Malásia, condenou os incidentes e pediu à nação que permaneça ao lado do Governo para manter a lei e a ordem no país.

A cidade portuária de Karachi, a mais povoada do país, com quase 14 milhões de habitantes, é um foco freqüente de violência política e criminosa.

Além disso, a cidade mais cosmopolita do Paquistão, onde vivem milhões de pessoas das quatro províncias do país, foi palco freqüentemente de enfrentamentos étnicos.

Ontem, o Paquistão foi atingido por um atentado suicida realizado em Islamabad, que causou a morte de pelo menos 19 pessoas, a maioria deles policiais. EFE igb/rb/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG