Bagdá - A capital iraquiana e a província de Diyala foram palco hoje de inúmeros atentados terroristas que deixaram pelo menos 38 mortos e 100 feridos.

As explosões de bombas e granadas ocorreram após a abertura dos colégios eleitorais para as eleições parlamentares que foram realizadas hoje, as segundas depois da derrubada em 2003 do ex-ditador Saddam Hussein.

AP

As explosões esporádicas rompiam o silêncio de hoje em Bagdá e no resto do país, onde está proibida a circulação de veículos desde ontem à noite até a madrugada de amanhã para prevenir distúrbios durante as eleições.

No ataque mais recente, quatro pessoas morreram e seis ficaram feridas no impacto de um míssil Katyusha na via que liga o centro ao bairro de Al-Hurriya, no norte da capital, informaram fontes do Ministério do Interior.

A explosão de uma bomba perto do colégio eleitoral Al Tabri, no bairro de Al Jihad, no oeste de Bagdá, matou dois civis e deixou outros cinco feridos. Em um atentado similar contra outro colégio eleitoral do mesmo bairro, outro civil ficou ferido.

Também no oeste de Bagdá, duas pessoas morreram na explosão de uma bomba perto de uma escola no bairro Al Judra.

Em outro ataque com mísseis Katyusha contra a principal via do bairro Al Kariyat, no distrito de Al Salij, no norte da capital, dez pessoas ficaram feridas.

Entre as dezenas de ataques que ocorreram até o momento, o mais sangrento ocorreu no distrito de Ur, no leste da capital, onde duas granadas atingiram dois prédios, deixando 12 mortos e oito feridos, segundo fontes do Ministério do Interior.

Além disso, outra explosão registrada em um edifício do sudoeste de Bagdá matou quatro pessoas e outras oito feridas. As fontes disseram à Agência Efe que neste atentado o edifício ficou destruído pela explosão.

Outras oito pessoas ficaram feridas quando participavam da votação, em outros três ataques ocorridos perto de colégios eleitorais nos bairros de Al Mansur e Al Jihad, no oeste de Bagdá, e de Al Azamiya, no norte.

Outros projéteis caíram em diferentes pontos de Bagdá, inclusive na chamada "zona verde", área especialmente fortificada e onde se localizam várias embaixadas e sedes de ministérios. No entanto, não há informações de vítimas nessa área.

Fora de Bagdá, na província de Diyala, dois homens armados morreram ao explodir a bomba que tentavam colocar em uma estrada, na região de Jabara, situada a 115 quilômetros ao norte de Baquba, capital de Diyala.

Além disso, vários ataques em diversas cidades dos arredores de Baquba contra centros eleitorais deixaram pelo menos um ferido.

Em Faluja, a 50 quilômetros do oeste da capital, dois artefatos explosivos deixaram quatro pessoas feridas, acrescentaram as fontes.

Fontes do Ministério do Interior assinalaram que ao norte da cidade oriental de Baquba uma bomba explodiu nesta madrugada durante a passagem de um comboio do Exército dos Estados Unidos, mas só causou danos ao veículo.

O primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, votou logo após a abertura das votações. Ele se mostrou confiante de que esses atentados não afetarão as eleições no país.

* Com agências EFE e AFP

Leia mais sobre: Iraque

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.