Explosão que matou mineradores era briga de casal

La Paz, 4 abr (EFE).- A explosão que matou hoje um casal de mineradores na cidade boliviana de Oruro aconteceu em meio a uma discussão do casal, em processo de separação, quando detonaram os cartuchos que o marido levava aderidos a seu corpo.

EFE |

O promotor Aldo Morales explicou à rádio estatal "Pátria Nova" que o casal estava discutindo na praça principal de Oruro e o homem, Ramiro Benito Alipaz, se jogou sobre sua esposa, María Vázquez Mamami de Alipaz.

Ambos caíram no chão e então a dinamite que o marido carregava explodiu, segundo o relato de várias testemunhas interrogados pelo promotor.

"Ajuda, tem dinamite", foram as últimas palavras da esposa, informou Morales.

Quando ocorreu a detonação, uma manifestação de trabalhadores do setor de mineração estava percorrendo as ruas de Oruro e, por isso, várias televisões e emissoras de rádio vincularam, a princípio, o fato com a manifestação.

No entanto, o comandante da Força Especial de Luta Contra o Crime (FELCC) de Oruro, coronel Guido Espinoza, ratificou à Agência Efe que os mineradores mortos não estavam participando dessa manifestação.

Espinoza comentou que o casal passava por desavenças pela manutenção de seus dez filhos.

Uma mulher identificada como Victoria Ojeda ficou levemente ferida pela explosão da dinamite.

    Leia tudo sobre: bizarro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG