Explosão no sul do Afeganistão mata ao menos 40

Ao menos 40 pessoas morreram e mais de 60 ficaram feridas, nesta terça-feira, em uma grande explosão no centro da cidade de Candahar, no sul do Afeganistão, informaram fontes policiais da região. De acordo com as autoridades da província de Candahar, a bomba estava escondida em um caminhão-tanque ou em um caminhão convencional.

BBC Brasil |


AP

Corpo é retirado de um dos cinco carros que explodiram
em um atentado em Kandahar

O correspondente da BBC Chris Morris, que está em Cabul, capital do Afeganistão, disse que o ataque ocorreu no início da noite desta terça-feira, quando os muçulmanos terminavam seu jejum diário do mês sagrado do Ramadã.

Janelas em diversas partes da cidade ficaram quebradas pela força da explosão, segundo Morris, e o escritório da empresa japonesa e um edifício nas proximidades, onde estava ocorrendo um casamento, ficaram severamente danificados.

Muitos hotéis e sedes de organizações não-governamentais também ficam nas proximidades, assim como o Conselho da província de Candahar.

As autoridades locais responsabilizaram o Taleban pelos ataques, embora nenhum grupo tenha reivindicado sua autoria até o momento. Candahar é considerada um reduto dos talebans.

A explosão ocorreu pouco depois da divulgação dos primeiros resultados das eleições no país, que ocorreram na última quinta-feira. A apuração preliminar indicou uma pequena vantagem para o atual presidente, Hamid Karzai.

AP

Policial observa local após cinco carros-bomba explodirem em Kandahar

Ano mais violento

Uma outra explosão nesta terça-feira matou quatro soldados americanos que integravam as forças da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) no Afeganistão.

Segundo o porta-voz da Otan, general de brigada Eric Tremblay, os soldados foram mortos "enquanto patrulhavam uma das áreas mais violentas do Afeganistão", sem especificar, no entanto, o local exato das mortes.

O incidente elevou o número de soldados estrangeiros mortos no Afeganistão neste ano para 295, tornando 2009 o ano mais violento para as tropas ocidentais desde o início do conflito em 2001.

Em 2008, que até então havia sido o ano mais violento, 294 militares estrangeiros tinham morrido.

No último mês de maio, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, quase dobrou o contingente de tropas americanas no Afeganistão, aumentando o total de tropas ocidentais no país para cerca de 100 mil.

Leia também:



Leia mais sobre Afeganistão

    Leia tudo sobre: afeganistãoatentadoobamatropas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG