Por Izaz Mohmand PESHAWAR, Paquistão (Reuters) - Pelo menos 30 pessoas foram mortas na explosão de um carro-bomba numa zona eleitoral no noroeste do Paquistão neste domingo, durante o pleito para uma cadeira na assembléia da província, informou a polícia.

"O número de mortos alcançou 30 e pode aumentar", disse Behraman Khan, comandante de um posto policial perto da cidade de Buner, onde se deu a explosão. "Foi um ataque suicida", acrescentou à Reuters por telefone.

Khan afirmou que o responsável pelo ataque estava aparentemente só. Acredita-se que ele dirigiu o carro até o estacionamento em frente à escola que servia de zona eleitoral e detonou os explosivos.

O ataque é o mais recente de uma série de explosões na região, onde forças de segurança têm se confrontado com militantes ligados ao Taliban e à Al Qaeda. Os militantes seriam responsáveis pela onda de ações a bomba e assassinatos, numa resposta às operações contra eles.

Outra autoridade policial afirmou que quatro crianças estão entre os mortos. De acordo com Khan, há cerca de uma dezena de feridos. A escola desabou depois da explosão.

Também neste domingo, autoridades da área de inteligência e moradores da região de fronteira com o Afeganistão disseram que homens suspeitos de serem militantes executaram três pessoas que acreditavam ser espiões do Paquistão e dos Estados Unidos.

Em Swat, 34 militantes e dois soldados foram mortos em conflitos no sábado, segundo militares.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.