Explosão em procissão xiita causa 30 mortos no Paquistão

Pelo menos 30 pessoas morreram e várias ficaram feridas num atentado a bomba praticado contra uma procissão de muçulmanos xiitas que celebravam a festa da Ashura em Karachi, a grande cidade do Sul do Paquistão, informou a polícia local.

AFP |

As forças de segurança paquistanesas estão em estado de prontidão temerosas de outras ações violentas durante a comemoração religiosa, que recorda a morte do imã Hussein no ano 680.

No momento do ataque, cerca de 50.000 peregrinos xiitas percorriam as ruas de Karachi vestidos de preto ou açoitando-se até tirar sangue do corpo, num ritual.

A explosão causou um início de incêndio; uma nuvem de fumaça subiu numa das principais avenidas de Karachi, a capital financeira do país, em meio a um movimento de pânico entre a multidão.

Ao final de alguns minutos chegaram ao local várias ambulâncias que transportaram feridos para os hospitais.

Depois da explosão seguiram-se incidentes, durante os quais peregrinos xiitas encolerizados atiravam pedras, disparavam para o ar e incendiavam dezenas de veículos e lojas num bulevar próximo.

O primeiro-ministro, Yusuf Raza Gilani, condenou rapidamente o atentado pedindo calma à população em todo o país.

"Esta forma de operar demontra que foi uma ação conjunta do Movimento dos Talibãs Paquistaneses (TTP) e de Lashkar-i-Jhangvi", disse Malik, referindo-se a dois grupos militantes islamitas, os mais poderosos do país.

O TTP e seus aliados, que denunciam fundamentalmente o apoio do Paquistão à "guerra contra o terrorismo" dos Estados Unidos, são considerados responsáveis pela onda de atentados que deixou mais de 2.700 mortos no país nos últimos dois anos e meio.

A minoria xiita representa 20% da população paquistanesa, integrada por 170 milhões de pessoas, em sua maioria de confissão sunita.

mhm/cn/fp/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG