Explosão em casamento deixa pelo menos 40 mortos no Afeganistão

Cerimônia era de filho do chefe de uma companhia de segurança que presta serviços aos comboios logísticos das tropas estrangeiras

EFE |

Pelo menos 40 pessoas morreram e outras 74 ficaram feridas em uma explosão ocorrida durante um casamento na província de Kandahar, sul do Afeganistão, nesta quarta-feira, segundo uma fonte oficial citada pela agência afegã "AIP".

Uma fonte policial informou que entre os mortos e feridos há várias crianças e explicou que as fontes de segurança estão investigando se houve um ataque a bomba ou um atentado suicida.

AP
Afegãos observam corpos de vítimas de atentado contra casamento na província de Kandahar

Uma testemunha que está entre os feridos, porém, disse ter visto um carro que chegou ao local e explodiu em meio à multidão, quando os convidados estavam comendo. A detonação aconteceu no começo da noite na localidade de Nagahan, no distrito de Arghandab, contou o chefe da administração de Kandahar, Muhammad Anas.

Segundo um morador do local, a explosão ocorreu durante a cerimônia de casamento de um filho do chefe de uma companhia de segurança que presta serviços aos comboios logísticos das tropas estrangeiras alocadas no país.

Algumas pessoas morreram após darem entrada no hospital de Kandahar, onde alguns feridos estavam em estado crítico, disse à "AIP" uma fonte do centro sanitário.

Campanha do Taleban

O Taleban iniciou no último mês uma campanha denominada "Al-Faath" ("Vitória"), e desde então realizou vários ataques contra bases das tropas estrangeiras no Afeganistão.

No entanto, a milícia insurgente também incluiu entre seus objetivos as companhias logísticas ligadas a tarefas de reconstrução, e a "todos aqueles que apoiem ou trabalhem pelo fortalecimento do domínio estrangeiro", segundo disseram.

As tropas internacionais presentes no Afeganistão preparam há meses uma intensa campanha em Kandahar, que é um dos focos mais conflituosos do Afeganistão e um tradicional bastião dos insurgentes do Taleban.

As milícias recorreram no passado a ataques suicidas ou ações de comandos, mas costumam agredir as tropas afegãs e estrangeiras com táticas próprias das guerrilhas tradicionais, como "bombas rolantes" ou emboscadas.

Morte de soldados

Nos últimos cinco dias morreram 23 soldados estrangeiros no Afeganistão, quatro deles pela queda de um helicóptero na província de Helmand (vizinha a Kandahar) e os demais por explosões de bombas e tiroteios.

Ainda falta a confirmação da autoria da explosão da noite desta quarta, incidente que aconteceu menos de uma semana depois da realização da "jirga da paz", uma assembleia de líderes tribais e administrativos afegãos para buscar o fim da guerra no país.

A "jirga", uma iniciativa do presidente, Hamid Karzai, aprovou um plano para conseguir a paz com o Taleban, e apoiou uma anistia parcial para os insurgentes que abandonem as armas.

    Leia tudo sobre: TalebanAfeganistãoOtanatentado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG