Explosão em Cabul foi "acidente", diz Otan

As forças de segurança afegãs isolaram a zona após o acidente, que coincide com a visita ao país centro-asiático do chefe de Estado-Maior dos EUA, o almirante Mike Mullen

EFE |

A explosão ocorrida neste sábado perto do Ministério de Assuntos Exteriores do Afeganistão, na região central de Cabul, foi um "acidente", informou à agência Efe uma fonte da Força Internacional de Assistência à Segurança no Afeganistão (Isaf) da Otan.

A detonação, de grande intensidade, aconteceu pela explosão de várias minas terrestres que estavam sendo transportadas pelo Exército afegão.

A mesma fonte afirmou que o incidente não causou mortes, enquanto alguns canais de televisão do país informaram que várias pessoas ficaram feridas.

Os rebeldes talibãs, que costumam reivindicar muitos dos incidentes de segurança, asseguraram que a detonação foi provocada por uma bomba colocada junto a um veículo policial que estava estacionado no lugar, segundo disse à agência afegã "AIP" o porta-voz insurgente, Zabihullah Mujahid.

A explosão aconteceu por volta das 10h30 locais (3h em Brasília), perto da embaixada da China e na mesma rua da sede do Ministério de Assuntos Exteriores do país, explicou à Efe o porta-voz do Ministério do Interior, Zamarai Bashary.

As forças de segurança afegãs isolaram a zona após o acidente, que coincide com a visita ao país centro-asiático do chefe de Estado-Maior dos EUA, o almirante Mike Mullen.

Mullen chegou sexta-feira à noite para explicar às autoridades afegãs a substituição de Stanley McChrystal por David Petraeus à frente das tropas dos EUA e da Otan no Afeganistão após a publicação de uma polêmica entrevista de McChrystal na revista "Rolling Stone".

Mullen, que também deve visitar o vizinho Paquistão, assegurou que este a substituição "em nada altera a estratégia, nossa missão ou os recursos no Afeganistão".

    Leia tudo sobre: explosãoCabul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG