Explosão diante de centro eleitoral deixa 36 mortos no Paquistão

Pelo menos 36 pessoas morreram e 15 ficaram feridas neste domingo na explosão de um carro-bomba diante de um centro eleitoral na região noroeste do Paquistão, uma zona muito afetada por uma violenta campanha que pretende impor a lei islâmica.

AFP |

O carro-bomba destruiu uma escola na cidade de Buner, no conturbado vale de Swat, onde os eleitores votavam para eleger parlamentares. A eleição foi suspensa depois do atentado.

Além da escola, a bomba provocou danos graves nas casas próximas.

Nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque, mas o Exército paquistanês combate os talibãs na região do vale de Swat - que já foi uma área turística - há mais de um ano, o que não foi suficiente para conter a violência.

O ataque foi o último de uma onda de atentados suicidas e ações violentas no Paquistão que deixaram mais 1.500 mortos nos últimos 18 meses.

O balanço de 36 mortos foi confirmado à AFP pelo polical Behramand Jan. "O suicida fez o carro repleto de explosivos se chocar com o muro da escola", o que provocou uma devastação em massa".

Sete dos 15 feridos estão em condições críticas e foram levados para um hospital de Peshawar, a capital da Província da Fronteira do Noroeste.

Entre as vítimas fatais estão dois policiais.

As equipes de resgate ainda procuram entre os escombros possíveis sobreviventes. Testemunhas afirmaram à AFP que logo depois da explosão, os moradores da área tentaram retirar as pessoas dos destroços com as próprias mãos.

O vale de Swat se tornou um campo de batalha desde que o clérigo radical Maulana Fazlulah, ligado ao movimento talibã paquistanês, lançou uma campanha violenta para a introdução da lei islâmica, sharia, na região.

    Leia tudo sobre: paquistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG