Bangcoc, 17 jul (EFE).- Dois soldados morreram e outros quatro ficaram feridos hoje depois da explosão de um carro-bomba na conflituosa província muçulmana de Yala, no sul da Tailândia, disse a Polícia local.

A explosão ocorreu quando os soldados inspecionavam uma caminhonete suspeita, estacionada à margem de uma estrada, que possuía uma bomba na cabine.

O porta-voz da delegacia provincial de Polícia, coronel Suwat Thongbai, disse que a bomba foi acionada por um telefone celular, e atribuiu o atentado a rebeldes do movimento separatista islâmico.

Os ataques com armas leves, assassinatos e atentados com bomba ocorrem diariamente nas três províncias de maioria muçulmana de Narathiwat, Pattani e Yala, apesar do desdobramento de 31 mil agentes de forças de segurança e da existência de um estado de exceção.

Cerca de 3.700 pessoas já morreram por causa da violência na região desde que o movimento separatista islâmico retomou a luta armada em janeiro de 2004, após uma década de pouca atividade guerrilheira.

O movimento separatista denuncia a discriminação sofrida pela população desta região por parte da maioria budista do país e exige a criação de um estado islâmico independente. EFE tai/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.