O vice-presidente da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) no Líbano, Kamal Medhat, do grupo Fatah, foi morto nesta segunda-feira quando o comboio no qual viajava foi atingido por uma bomba. A explosão, causada por um artefato colocado à beira da estrada, ocorreu em frente ao campo de refugiados palestinos Mieh Mieh, nas proximidades da cidade de Sidon, no sul do Líbano.

AP
Oficiais montam guarda no local da explosão

Oficiais investigam local da explosão

Além de Kamal Medhat, a explosão também matou pelo menos outras três pessoas que estavam no carro. Em Mieh Mieh e no campo palestino de Ain al-Hilweh, onde o Fatah e uma série de facções islâmicas disputam a influência, o clima era de tensão após a explosão.

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, afirmou que o assassinato de Medhat foi um ato de terrorismo. "O presidente Abbas condena o crime terrorista que teve como alvo o general Kamal Medhat", disse um comunicado de seu gabinete. O representante do grupo palestino Hamas no Líbano, Osama Hamdan, também condenou o atentado de forma enérgica.

Não há indicação clara de quem seria responsável pelo ataque. Fontes palestinas cogitam a possibilidade de o alvo ter sido o presidente da OLP no Líbano, Abba Zakki, que visitou o campo pouco antes de Medhat. A visita dos dois dirigentes tinha o objetivo de ajudar nos esforços para pacificar o campo.

No sábado, outras duas pessoas foram mortas em um tiroteio no local. O confronto foi atribuído a uma disputa familiar.

Os campos de refugiados palestinos no Líbano são geralmente pobres e densamente povoados. Episódios de violência são comuns nesses locais, que costumam acomodar famílias palestinas que deixaram em 1948 o território que viria se tornar Israel.

(Com informações de BBC, Reuters e EFE)

Leia mais sobre Fatah

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.