Exploração de petróleo nas Malvinas decepciona

LONDRES (Reuters) - A empresa petrolífera britânica Desire Petroleum informou que encontrou petróleo de baixa qualidade no primeiro poço perfurado nas Ilhas Malvinas em uma década, o que provocou forte queda nas ações de companhias do setor que operam na região. A Desire fez nesta segunda-feira uma primeira atualização das tarefas de exploração planejadas para 2010 por companhias britânicas nas Malvinas --chamadas de Falklands pelos britânicos.

Reuters |

A exploração de petróleo nas ilhas provocou protestos na Argentina, que há anos exige a soberania sobre as ilhas na frente de seu território.

As ações da Desire chegaram a cair 48 por cento, às 9h50 GMT (6h50 de Brasília), depois que a companhia disse que as primeiras operações no poço Liz 14/19-1 mostraram que poderia haver petróleo, mas de qualidade baixa, nas reservas.

A Rockhopper, outra empresa com exploração na região que tem uma participação de 7,5 por cento no poço Liz, também foi afetada pelas informações da Desire. Suas ações caíam 24 por cento.

As ações da Falkland Oil and Gas e da Borders & Southern Petroleum, outras duas exploradoras, também caíam, 13,6 e 12,7 por cento, respectivamente, apesar de os projetos dessas empresas estarem ao sul das ilhas.

A Desire afirmou que o poço Liz alcançou uma profundidade de 3.570 metros e que também foi encontrado gás, principalmente abaixo dos 3.400 metros.

Analistas da Seymour Pierce e Oriel Securities mantiveram suas recomendações de "compra" para as ações da Desire.

"Deve-se ter em mente que este é o primeiro de um potencial programa de seis poços da Desire", disse o analista Alan Sinclair.

A Desire informou que as operações iniciais em Liz estariam concluídas até o final desta semana, e que então fará um anúncio completo de suas descobertas.

"Até que o acesso esteja completo e os resultados analisados, não será possível determinar a magnitude dos hidrocarbonetos encontrados e se o poço vai requerer uma perfuração mais profunda, será suspenso para testes ou tampado e abandonado", disse a empresa.

(Reportagem de Sarah Young)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG