Veja as principais questões que não foram esclarecidas sobre a operação americana que levou à morte do líder da Al-Qaeda

Depois de pôr fim à longa busca por Osama bin Laden , o governo americano tem um novo desafio pela frente: explicar como aconteceu a operação que matou o líder da Al-Qaeda tanto para um aliviado público americano quanto para um cético mundo muçulmano.

Desde que o anúncio da morte de Bin Laden foi feito pelo presidente Barack Obama, na madrugada de segunda-feira (horário de Brasília), a Casa Branca se viu forçada a corrigir partes da história, esconder outras e, após longo debate interno, descartar a possibilidade de revelar as fotos do corpo do líder terrorista.

“Revisamos essas informações e tomamos as decisões da mesma forma que fazemos todas as outras coisas: levando em conta o que estamos tentando alcançar e se isso vai servir aos nossos interesses ou prejudicá-los, tanto nacional quanto internacionalmente”, afirmou o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney.

As declarações e divulgações feitas pelo governo americano ilustram o desafio em termos de “relações públicas” enfrentado por Obama, que tenta achar o tom ideal para capitalizar com a enorme conquista militar sem ofender o mundo muçulmano.

Presidente Barack Obama e autoridades acompanham operação que culminou na morte de Osama bin Laden
Divulgação/Casa Branca
Presidente Barack Obama e autoridades acompanham operação que culminou na morte de Osama bin Laden

Para isso, cada etapa parece ter sido cuidadosamente planejada. Na noite de domingo, Obama surgiu na televisão para fazer um dramático pronunciamento no qual anunciou a morte de Bin Laden. Na segunda-feira, a Casa Branca divulgou imagens que mostravam o presidente e sua equipe de segurança nacional acompanhando a operação com atenção. Na quinta-feira, Obama planeja ir até o local onde ficavam as torres do World Trade Center, em Nova York, para prestar homenagem às vítimas dos ataques de 11 de Setembro, realizados pela Al-Qaeda.

Enquanto isso, seus assessores corrigem informações que já foram dadas, divulgam novas e guardam outras para si mesmos.

Veja algumas das principais questões que não foram esclarecidas:

1. Quais as circunstâncias exatas da morte de Bin Laden?

A Casa Branca deu poucos detalhes sobre os momentos finais de Bin Laden e já voltou atrás em pelo menos duas informações importantes: se o líder da Al-Qaeda estava ou não armado e se usou uma mulher como escudo humano.

Na primeira versão divulgada pelo governo americano, Bin Laden resistiu à prisão e trocou tiros com os militares americanos que invadiram a mansão onde ele vivia. O líder terrorista foi morto com um tiro na cabeça. Outros três homens morreram – nenhum deles americano.

No entanto, na terça-feira o porta-voz da Casa Branca disse que Bin Laden não estava armado . Jay Carney manteve que ele resistiu à prisão, mas não deu detalhes sobre seu comportamento, dizendo apenas que os soldados americanos foram recebidos com “grande resistência” e que “outras pessoas” estavam armadas.

A Casa Branca também divulgou, inicialmente, que a operação tinha deixado uma mulher morta. Ela seria uma das esposas de Bin Laden, usada por ele como escudo humano . A informação foi desmentida no dia seguinte por Carney. Segundo o porta-voz, uma mulher tentou confrontar as forças americanas e levou um tiro na perna, mas sobreviveu.

2. Alguém foi preso na operação? Quem?

Autoridades da agência de inteligência do Paquistão (ISI) disseram que as forças americanas que executaram a operação levaram consigo o corpo de Bin Laden e de outra pessoa , ainda viva. A identidade desta pessoa não foi revelada, mas há especulações na mídia paquistanesa de que seria um dos filhos do líder da Al-Qaeda.

Os Estados Unidos, porém, não fizeram comentários sobre nenhum prisioneiro e disseram que apenas o corpo de Bin Laden foi retirado da casa onde se escondia.

As autoridades dos dois países concordam em um ponto: que as mulheres e crianças que estavam na mansão foram deixadas para trás pelas forças americanas. O motivo, segundo a ISI, seria o fato de um dos helicópteros dos EUA ter apresentado defeito . Essas pessoas estariam sob custódia do Paquistão. Seriam nove mulheres e 23 crianças recebendo tratamento de ferimentos à bala em um hospital na cidade de Rawalpindi, no nordeste do Paquistão.

3. O Paquistão sabia da operação ou do paradeiro de Bin Laden?

Os Estados Unidos disseram ter planejado e executado a operação sozinhos , tendo informado os paquistaneses sobre a missão apenas depois de ela ter chegado ao fim. Da mesma forma, o presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, negou que as autoridades de seu país soubessem do paradeiro de Bin Laden.

Apesar disso, alguns analistas não acreditam que aviões americanos tenham conseguido penetrar no Paquistão, aparentemente livrando-se da defesa área do país, sem que o Exército tivesse conhecimento da ação.

Além disso, há muitos questionamentos sobre como a casa onde Bin Laden vivia, cuja construção terminou em 2005, pode passar despercebida. Além de ser muito maior do que as outras casas da região e estar cercada por muros altos com arame farpado, a mansão está localizada em local próximo a um importante centro militar.

Embora o governo americano tenha tomado cuidado para não acusar diretamente o Paquistão de dar abrigo a Bin Laden, a Casa Branca deve exigir respostas das autoridades paquistanesas. Para John O. Brennan, principal assessor de Obama para segurança nacional, é “inconcebível” que Bin Laden não tenha tido algum tipo de apoio.

4. O que exatamente foi feito com o corpo de Bin Laden?

O governo Obama disse ter tomado a decisão de seguir a tradição islâmica de sepultamento no prazo de 24 horas, para evitar ofender os muçulmanos devotos.

No entanto, o corpo foi “ enterrado no mar ” porque, segundo os EUA, nenhum país estaria disposto a recebê-lo e porque não seria interessante criar um santuário para seus seguidores.

Assim, segundo autoridades, o processo de identificação do corpo começou na própria mansão, quando uma das esposas de Bin Laden o reconheceu. Em seguida, uma foto tirada por um militar dos EUA e processada através de um software de reconhecimento facial sugeriu uma certeza de 95% de que era Bin Laden. Depois, testes de DNA comparados a amostras de parentes encontraram uma correspondência de 99,9%.

O corpo do líder teria sido lavado, enrolado em um lençol branco e colocado em um saco com pesos, antes de ter sido jogado no Mar da Arábia a partir do convés de um porta-aviões.

Até o momento, porém, não está claro quem testemunhou esse momento e nenhuma foto foi divulgada. Líderes islâmicos também questionam a pressa americana em cumprir os supostos preceitos do islã. Segundo eles, a tradição exige que o corpo seja enterrado . O enterro no mar só é aceito em casos em que o corpo não pode ser preservado intacto a bordo de uma embarcação até chegar à costa.

5. O que mostram as fotos não-divulgadas do corpo de Bin Laden?

A divulgação das imagens – descritas como “horríveis” pelo porta-voz da Casa Branca – foi longamente discutida pela Casa Branca. As autoridades consideraram que, ao mesmo tempo em que o material poderia oferecer a prova de que Bin Laden foi morto durante a operação, também poderia ter um efeito "inflamatório", alimentando o sentimento antiamericano em países muçulmanos.

Em entrevista à rede CBS, Obama disse querer evitar que as fotos estimulem atos violentos ou sejam usadas como ferramenta de propaganda. "Nós (os americanos) não somos assim", afirmou o presidente.

A CBS afirmou ter tido acesso à imagem do corpo do líder terrorista. Segundo a emissora, a foto mostra Bin Laden com perda de massa encefálica e um grande ferimento na cabeça, provocado por um projétil que o acertou acima de seu olho esquerdo.

Com AP, BBC e informações do "The New York Times"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.