Expectativas do exterior com Obama preocupam futuro vice dos EUA

O vice-presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, disse estar preocupado com as esperanças que os governos estrangeiros depositam no futuro presidente americano, Barack Obama, de acordo com trechos de uma entrevista que será transmitida nesta segunda-feira à noite, na rede CNN.

AFP |

Biden, que assumirá o cargo, junto com Obama, no dia 20 de janeiro, também declarou que, agora, o ainda presidente George W. Bush começa a reconhecer ter cometido "graves" erros de julgamento, o que não é o caso do vice Dick Cheney.

"Acho que o presidente Bush, ao contrário do vice-presidente Cheney, começa, mediante reflexão, a reconhecer senão os erros, pelo menos os maus julgamentos", comentou Biden.

Em entrevista à FOX no domingo, Dick Cheney defendeu o balanço antiterrorista do governo Bush e criticou seu sucessor por querer diminuir o papel do vice-presidente.

"Há pouco tempo, perguntaram-me se estava preocupado com as altíssimas expectativas que as pessoas têm com o presidente Barack Obama. Eu disse que, no plano doméstico, não estava muito preocupado, mas que, no plano internacional, estava", admitiu Biden ao apresentador da CNN Larry King, em trechos da entrevista antecipados para a imprensa.

Segundo Biden, as esperanças estrangeiras no futuro governo são imensas.

"Muitos líderes mundiais me contactaram (...) têm muita vontade de ver um líder americano com uma política que reflita nossos valores e alguém com quem possam falar", revelou.

Leia mais sobre: Joe Biden

    Leia tudo sobre: joe biden

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG