Ex-paramilitares colombianos confessam assassinato de 24 mil pessoas

Bogotá, 6 set (EFE).- Os paramilitares que largaram as atividades criminosas, dentro de um processo de paz com o Governo colombiano, reconheceram o assassinato de pelo menos 24 mil pessoas nos últimos 22 anos, segundo um relatório da unidade de Justiça e Paz da Procuradoria-Geral, divulgado hoje pela Caracol Radio.

EFE |

O documento aponta que os ex-paramilitares das Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC) reconheceram 24.005 homicídios, dos quais 8.154 já foram julgados pelas autoridades.

Os 3.700 ex-paramilitares reconheceram que recrutaram pelo menos 1.020 menores de idade para a AUC e admitiram ter sido responsáveis pelo desaparecimento de 2.047 pessoas.

Além disso, reconheceram sua participação em 781 sequestros, 369 casos de deslocamento forçado, 1.566 casos de extorsão e 28 casos de violência sexual.

O relatório também indicou que, até o dia 31 de julho de 2009, 239.758 pessoas tinham sido vítimas de violência cometida por grupos armados ilegais.

"Segundo os números compilados pela Procuradoria, se pôde estabelecer que 2.133 crianças, 2.170 mulheres, 222 sindicalistas e 184 indígenas foram vítimas dos crimes cometidos pelos grupos armados à margem da lei", apontou o documento.

Desde o final de 2005, a Procuradoria exumou 2.043 valas comuns, com base na informação fornecida pelos ex-integrantes dos esquadrões paramilitares.

Nessas fossas, foram encontrados 2.492 cadáveres, 581 dos quais já foram entregues a seus familiares. EFE fer/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG