Ex-paramilitar confessa ter matado guerrilheiro das Farc

Bogotá, 7 mai (EFE).- O ex-paramilitar colombiano Don Antonio confessou hoje ter matado um guerrilheiro das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) que aparentemente participou de um atentado contra o presidente Álvaro Uribe pouco antes de sua eleição, em 2002, informaram fontes judiciais.

EFE |

A Procuradoria Geral disse em comunicado que "Don Antonio", um ex-militar cujo verdadeiro nome é conhecido Edgar Ignacio Fierro, reconheceu o crime durante um interrogatório em Barranquilla, cidade do litoral norte onde aconteceu o atentado frustrado contra Uribe.

O atentado foi perpetrado no dia 14 de abril de 2002, quando insurgentes das Farc ativaram uma bomba durante a passagem da caravana de Uribe.

Cinco pessoas morreram no ataque, que aconteceu seis semanas antes de o então candidato à chefia do Estado ter sido eleito para seu primeiro mandato de quatro anos.

O guerrilheiro morto se chamava "Agner de la Rosa Rangel Vides, e fazia parte da frente 37 das Farc", disse Fierro.

Segundo o comunicado, o ex-paramilitar informou que "o subversivo participou do atentado" 2002 contra Uribe.

A data do crime não foi informada por Fierro, que faz parte das Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC), nem pela Procuradoria. EFE jgh/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG