Bogotá, 28 ago (EFE).- O ex-paramilitar colombiano Juan Carlos Rodríguez de León assumiu a autoria do assassinato do sociólogo e catedrático Alfredo Correa De Andreis, ocorrido em 2004 na cidade de Barranquilla (norte), informaram hoje fontes judiciais.

Rodríguez de León, conhecido como "El Gato", assegurou na quarta-feira, perante um juiz em Bogotá, que disparou contra o professor Correa de Andreis em 17 de setembro de 2004, em uma rua de Barranquilla, capital do departamento do Atlântico.

O intelectual de esquerda tinha ficado detido durante quase um mês em junho desse ano, acusado de supostos nexos com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

No entanto, pessoas próximas ao professor assassinado pediram a investigação de uma suposta estratégia do ex-paramilitar para obter os benefícios da Lei de Justiça e Paz promulgada para a desmobilização dos rebeldes.

Na mesma audiência, declarou outro ex-paramilitar, Edgar Ignacio Fierro, conhecido como "Don Antonio", que reiterou que foi ele quem ordenou o assassinato, por considerar que Correa de Andreis favorecia os guerrilheiros.

Os paramilitares colombianos se agrupavam nas Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC), organização responsável por múltiplas violações dos direitos humanos, e que realizou conversas de paz com o Governo entre 2003 e 2006, e desmobilizou mais de 31 mil combatentes. EFE gta/gs

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.