Expansão agrícola sem ordenamento é maior causa de incêndios na Argentina

Buenos Aires, 18 abr (EFE).- A expansão da fronteira agrícola sem um ordenamento ambiental é a principal causa do desastre ecológico que está sacodindo a Argentina por estes dias, onde a queima de pastagens afetou cerca de 70.

EFE |

000 hectares e gerou uma enorme massa de fumaça que cobriu novamente parte do país nesta sexta-feira.

Assim explicou à Agência Efe Fernando Miñerro, da Fundação Vida Silvestre, que pediu ao Governo que incorpore "o tema ambiental" à discussão com o setor agropecuário para resolver uma crise que derivou recentemente em uma greve de 21 dias do setor.

"O avanço da fronteira agrícola para buscar um melhor aproveitamento do campo deslocou a pecuária para regiões marginais, como a zona do delta do Rio Paraná, onde antes não existia esta atividade", comentou o especialista.

"Nestas áreas marginais não há apenas inexperiência no manejo da pecuária, mas o solo tem limitações: é salino, tem pouca profundidade e é inundável", disse.

Miñerro explicou que nessa região há pastagens conhecidas como "pajonales", que precisam da queimada para brotar em melhores condições.

Fernando Miñerro, coordenador do "Programa Pastagens" da Fundação Vida Silvestre, defendeu a queima de gramados, uma prática que é feita no país há muitos anos e sobre a qual existem numerosos estudos que mostram que ela "pode ser muito benéfica".

No entanto, destacou que "é necessário tomar todos os cuidados necessários para atear um fogo controlado, o que representa levar em conta a velocidade do vento, a umidade e a temperatura, além de saber em que época do ano e momento do dia para fazê-lo, e a necessidade de criar aceiros e notificar as autoridades".

O fenômeno afeta nos últimos dias a capital do país e as províncias de Buenos Aires, Santa Fé e Entre Ríos, que tiveram que alterar seu ritmo normal em conseqüência da fumaça que por alguns momentos torna o ar irrespirável.

Para prevenir acidentes, o Governo argentino declarou hoje emergência viária em rodovias próximas a Buenos Aires, que tiveram que ser fechadas ou com a circulação restrita em alguns trechos. EFE cw/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG