Êxodo da África teve maioria masculina, diz estudo

Pesquisadores dos Estados Unidos revelaram que os homens eram provavelmente mais numerosos que as mulheres quando os humanos modernos deixaram a África, há 60 mil anos. Segundo artigo publicado na revista Science Daily, muitos acreditam que este êxodo da África foi responsável por quase toda a população humana que existe fora do continente africano atualmente.

BBC Brasil |

Agora, cientistas afirmam que homens e mulheres não participaram em números iguais deste êxodo.

O método usado foi a pesquisa de variações do cromossomo X e de outros cromossomos não sexuais.

Segundo os cientistas, esta poderá ser uma boa ferramenta para estudos históricos e antropológicos no futuro, pois pode esclarecer as diferenças entre populações masculinas e femininas que não podiam ser examinadas com os métodos anteriores.

Os pesquisadores não têm certeza da razão de mais homens do que mulheres terem participado da diáspora a partir da África, ou como a seleção natural possa ter contribuído para estes padrões genéticos.

Mas, um dos autores da pesquisa, Alon Keinan, afirma que estas descobertas estão de acordo "com o que antropólogos nos ensinaram a respeito das populações de caçadores-coletores, que, em migrações de curtas distâncias são (formadas) primariamente por mulheres e, em longas distâncias, (formadas) primariamente por homens".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG