Ex-número 2 de Saddam chama iraquianos a lutar contra Maliki

Cairo, 7 abr (EFE).- O ex-vice-presidente iraquiano Izzat Ibrahim al-Douri, número dois do regime de Saddam Hussein e na clandestinidade desde 2003, fez uma chamada aos iraquianos para lutar contra o atual primeiro-ministro do Iraque, Nouri al-Maliki.

EFE |

Em uma gravação de áudio transmitida hoje pela televisão catariana "Al Jazira", Douri - que foi o braço direito do falecido ditador iraquiano - pediu a seus compatriotas que derrubem o atual Governo xiita e instaurem um novo que possa enfrentar os desafios do país.

"Lutem contra este Governo com todos os meios a seu alcance", disse Douri, na transmissão.

Douri, que fugiu após a entrada dos Exércitos da coalizão no país e permanece escondido, pediu aos iraquianos para iniciar relações positivas com o novo presidente americano, Barack Obama, baseadas em interesses comuns e no benefício mútuo.

O ex-vice-presidente disse que, quando as forças ocupantes deixarem o país, "as pessoas civilizadas do Iraque serão capazes de superar o passado e estabelecer a melhores relações com a nova Administração dos Estados Unidos".

Douri foi vice-presidente do Conselho do Comando Revolucionário, a mais alta instituição do regime de Saddam Hussein, e era o número seis no baralho de cartas dos 55 iraquianos mais procurados pelo Exército dos EUA.

A lista dos mais procurados era formada pelos mais próximos colaboradores de Saddam, como membros do partido Baath e militares de alta categoria.

A maioria deles se rendeu ou foi capturada e sentenciada, como Saddam, que foi enforcado. Douri permanece em paradeiro desconhecido.

Os Estados Unidos oferecem uma recompensa de US$ 25 milhões a quem puder oferecer informações que levem à detenção de Douri, que, nos últimos anos, foi dado como morto em várias ocasiões. EFE nq/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG