BERLIM (Reuters) - Um tribunal da Alemanha sentenciou nesta terça-feira um ex-membro da SS Nazista, de 88 anos, à prisão perpétua pelo assassinato de três civis holandeses durante a 2a Guerra Mundial. Um porta-voz do tribunal da cidade de Aachen confirmou o veredicto contra Heinrich Boere pelos três assassinatos, que ele cometeu na Holanda em 1944.

Sua defesa disse que recorreria a decisão, o que significa que a sentença não tem vinculação jurídica por alguns meses.

Boere, que está na lista do Centro Simon Wiesenthal dos mais procurados suspeitos por crimes de guerra, confessou a morte dos três civis quando era membro da SS, enquanto perseguia a resistência anti-nazista, mas argumentou que estava apenas seguindo ordens.

O processo atraiu interesse internacional, principalmente por coincidir com o caso de John Demjanju, 89, que foi julgado em Munique sob acusação de ter ajudado a matar 27 mil judeus no campo de extermínio de Sobibor, na Polônia.

Boere nasceu na Alemanha mas cresceu na Holanda. Ele foi capturado por forças norte-americanas depois da guerra, mas fugiu para a Alemanha antes de ser sentenciado à morte na Holanda em 1949.

Autoridades alemãs recusaram um pedido de extradição da Holanda em 1980, mas Boere foi finalmente indiciado na Alemanha em 2008.

Especialistas dizem que uma nova geração de advogados estão ansioso para melhorar o registro incompleto da Alemanha de levar ex-nazistas à Justiça ao processar os últimos suspeitos de crimes de guerra que sobreviveram.

(Reportagem de Dave Graham)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.