Ex-motorista de Bin Laden pega 5 anos e meio de prisão

Por Jane Sutton BASE NAVAL DE GUANTÁNAMO, Cuba (Reuters) - Um júri formado por oficiais militares dos Estados Unidos sentenciou na quinta-feira o ex-motorista de Osama bin Laden a cinco anos e meio de prisão por ter dado apoio material ao terrorismo, concluindo assim o primeiro julgamento de um crime de guerra nos EUA desde o final da Segunda Guerra Mundial.

Reuters |

Os 61 meses que Salim Hamdan já passou na prisão da base naval norte-americana de Guantánamo, encravada em Cuba, serão contabilizados, de modo que ele poderia ser solto em cinco meses.

O governo dos EUA, porém, argumenta que pode manter Hamdan ou qualquer outro 'combatente inimigo' sob sua custódia enquanto durar a guerra ao terrorismo.

Essa postura sofre críticas de defensores de direitos humanos, que também contestam o sistema montado pelo governo Bush para julgar supostos terroristas.

Durante a audiência de quinta-feira, Hamdan pediu desculpas pela dor que seus serviços à Al Qaeda possam ter causado às vítimas nos EUA.

'Não sei o que poderia ser dado ou apresentado a esses inocentes mortos nos EUA', disse Hamdan aos seis jurados militares, por intermédio de um intérprete. 'Pessoalmente, peço desculpas a elas se algo que fiz lhes causou dor.'

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG