WASHINGTON (Reuters) - O Exército dos Estados Unidos vai transferir o ex-motorista de Osama Bin Laden Salim Hamdan da base naval de Guantánamo para o Iêmen, país-natal do motorista, informou o jornal The Washington Post em sua edição de terça-feira, citando duas autoridades do governo. Hamdan, que ganhou uma decisão da Suprema Corte norte-americana que representou, em 2006, a primeira derrota do sistema tribunal militar do presidente George W. Bush, deve chegar na quarta-feira à capital do Iêmen, Sanaa. Ele deve cumprir o restante de sua sentença em uma prisão de lá, segundo o jornal.

Em agosto, uma comissão militar condenou Hamdan por apoiar o terrorismo, mas o liberou de acusações mais graves como planejar ataques assassinos junto com a Al Qaeda. Este é o primeiro julgamento de crime de guerra nos Estados Unidos desde a Segunda Guerra Mundial.

Os promotores militares e os advogados de Hamdan disseram na segunda-feira que não podem confirmar a libertação iminente do motorista, segundo o Post.

Um porta-voz do Pentágono não quis comentar o assunto. "É nossa política não comentar sobre transferências de detentos até que sejam completadas", disse Mark Ballesteros à Reuters, na segunda-feira.

O julgamento de Hamdan, em Guantánamo, foi o primeiro teste do polêmico tribunal militar autorizado pelo governo Bush a julgar acusados de terrorismo fora das fronteiras norte-americanas.

Hamdan foi capturado em novembro de 2001 em um bloqueio a uma estrada afegã, pouco depois da invasão norte-americana feita após os ataques de 11 de setembro daquele ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.