Sana, 26 nov (EFE).- O ex-motorista do líder da rede terrorista Al Qaeda, Osama bin Laden, chegou hoje ao Iêmen após deixar a prisão de Guantánamo (Cuba), onde permaneceu sete anos preso após ser acusado de terrorismo pelas autoridades dos Estados Unidos.

Uma fonte das forças de segurança iemenitas, que pediu não ser identificada, disse à Agência Efe que Salim Hamdan chegou após o meio-dia e foi imediatamente levado a uma base militar que fica nas proximidades do aeroporto internacional de Sana.

Segundo a fonte, Hamedan foi levado para um centro de detenção do serviço secreto iemenita para cumprir o que lhe resta de condenação, que expira no dia 27 de dezembro.

Hamedan foi condenado em agosto passado a cinco anos e meio de prisão pelo júri militar de Guantánamo, que o considerou culpado de ter prestado apoio material ao terrorismo.

O ex-motorista de Bin Laden, para quem a Promotoria pediu uma condenação mínima de 30 anos e inclusive tinha sugerido a prisão perpétua, foi o primeiro acusado de crimes de guerra ante um tribunal dos EUA desde a Segunda Guerra Mundial.

Hamedan foi julgado pelas polêmicas "comissões militares", criadas pelo Governo do presidente George W. Bush para julgar fora das cortes civis e militares comuns os casos relacionados ao terrorismo após os atentados de 11 de Setembro de 2001.

Detido em novembro deste mesmo ano, quando levava sua mulher à fronteira do Afeganistão com o Paquistão, Hamedan permanecia desde maio de 2002 em Guantánamo.

Segundo o jornal "The Washington Post", a decisão do Pentágono de enviar o ex-motorista de Bin Laden para o Iêmen foi tomada para evitar o que poderia ser um conflito diplomático. EFE ja/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.