Haia, 17 dez (EFE).- O Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII) condenou hoje por desacato o ex-ministro de Cultura do Kosovo, Astrit Haraqija, e a um de seus conselheiros políticos, Bajrush Morina, a cinco e três meses de prisão, respectivamente.

Os juízes consideraram Haraqija culpado de tentar persuadir uma testemunha para que não depusesse no julgamento contra o ex-primeiro-ministro do Kosovo, Ramush Haradinaj.

Os magistrados consideraram que o ex-ministro da Cultura em 2007 "abusou de sua alta posição" obrigando seu subordinado Morina a intimidar uma testemunha para que não depusesse contra Haradinaj.

De acordo com os juízes, Morina limitou-se a "acatar as ordens" de seu superior, pelo que lhe impuseram uma condenação mais baixa que ao ex-ministro.

Para as penas de cada um, já serão contabilizados os 36 dias em que permaneceram em custódia após serem detidos, antes da condenação.

Haradinaj foi absolvido em abril, por falta de provas, das acusações de crimes de guerra contra civis sérvios do Kosovo quando era ex-comandante guerrilheiro, mas o procurador-geral do tribunal recorreu dessa sentença. EFE mr/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.