Ex-ministro da Defesa japonês admite ter aceito subornos

Tóquio, 21 abr (EFE).- O ex-ministro da Defesa japonês Takemasa Moriya admitiu nesta segunda-feira em um julgamento ter aceito subornos de uma empresa de material militar enquanto ocupava o cargo ministerial, informou hoje a agência local de notícias Kyodo.

EFE |

Moriya, de 63 anos, foi detido em novembro do ano passado acusado de ter recebido cerca de 12,5 milhões de ienes (US$ 120.285) de suborno de Motonobu Miyazaki, um antigo executivo da Yamada, empresa que comercializa equipamentos de Defesa.

Aparentemente, durante um longo período de tempo, a empresa pagou as despesas relacionadas com o principal hobby de Moriya e sua mulher, o golfe.

As despesas de suas partidas de golfe e jantares em restaurantes de Tóquio, que alcançaram o montante de quatro milhões de ienes (US$ 36.330), foram cobertas pela empresa de material militar.

Segundo as investigações, os pagamentos aconteceram 12 vezes e durante três anos desde 2003, em troca de favores em contratos como a compra de motores da General Electric para aviões militares, comercializados pela empresa de Miyazaki.

Além disso, no final do ano passado se descobriu que Moriya, conhecido como o "imperador" no Ministério da Defesa por sua grande influência, fez favores a Miyazaki tanto durante seu período na Yamada, como depois de fundar sua nova companhia, Nihon Mirise.

Em outubro de 2007, Moriya tinha negado as acusações de corrupção que pesavam sobre ele. EFE icr/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG