Ex-militar dos EUA admite roubo de milhões em combustível no Iraque

Washington, 27 jul (EFE).- Um dos dois ex-militares americanos acusados de roubar mais de US$ 39 milhões em combustível da base de Victory Camp, no Iraque, admitiu culpa no caso.

EFE |

Segundo o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, o ex-capitão americano Robert Young, de 56 anos, se declarou culpado das duas acusações, de conspiração e roubo de propriedade do Governo, que pesam sobre ele e o ex-suboficial chefe da Marinha Robert Jeffery.

Ao depor, Young admitiu que em outubro de 2007 ele e outras pessoas acordaram participar de uma trama para roubar combustível do Exército.

Young reconheceu que entre outubro de 2007 e maio de 2008, fingindo serem representantes de algumas das empresas terceirizas do Departamento de Defesa no Iraque, usaram documentação falsa para conseguir entrar no armazém de combustível da base de Camp Liberty.

Uma vez lá, usaram autorizações falsas para roubar o combustível, que depois venderam no mercado negro.

Young admitiu ter contratado várias pessoas para se fingirem de motoristas e escoltar os caminhões em que transportavam o combustível.

O Departamento de Justiça diz que o valor estimado do combustível derivado do petróleo roubado ronda US$ 39,6 milhões.

O ex-militar enfrenta uma condenação máxima de 15 anos de prisão e uma multa de US$ 250 mil. A sentença está prevista para 30 de outubro.

Já Jeffery, de 55 anos, é apontado como o responsável por organizar a segurança dos caminhões durante vários meses. Em seu caso, a sentença será divulgada no próximo 10 de agosto. EFE elv/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG