Ex-líderes europeus lançam alerta a Obama sobre Rússia

Um grupo de 22 ex-líderes europeus publicou nesta quinta-feira uma carta aberta ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, mostrando ansiedade com aproximação entre Estados Unidos e Rússia e pedindo para que o presidente americano reafirme seu engajamento com o continente. O grupo inclui ex-chefes de Estado do leste e centro da Europa como o polonês Lech Walesa e o checo Vaclav Havel.

BBC Brasil |

Eles pediram para que Obama não abandone os planos de construção de um escudo antimísseis, planejado para a Polônia e República Checa, dizendo que ainda se sentem ameaçados pela Rússia, cerca de 20 anos depois do fim da Guerra Fria.

"Abandonar totalmente o programa ou envolver demais a Rússia (nessa iniciativa) sem consultar a Polônia ou a República Checa pode prejudicar a credibilidade dos Estados Unidos na região" disse a carta.

No ano passado, o governo do presidente americano George W. Bush firmou acordos para a construção das bases para o escudo de interceptação de mísseis na Polônia e República Checa, mas a Rússia expressou forte oposição aos planos.

Otan
A carta foi publicada após a visita de Obama à Rússia, onde o presidente americano procurou melhorar as tensas relações entre os dois países.

"Nossas esperanças de que as relações com a Rússia iriam melhorar e que Moscou iria finalmente aceitar plenamente nossa independência e soberanias totais depois que ingressamos na Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e a União Europeia não se cumpriram", diz a carta.

"Ao contrário, a Rússia volta como uma potência revisionista perseguindo uma agenda do século 19 com táticas do século 21."
Como exemplo de como a Rússia supostamente procura impor seus interesses, eles citam a pressão econômica de Moscou, como os recentes cortes no fornecimento de gás à Ucrânia e outros países europeus.

O documento pede para que Obama trabalhe em conjunto com a União Europeia para tentar diminuir a dominância energética russa.

O grupo pede também pelo fortalecimento da Otan, organização que dizem estar muito mais enfraquecida do que quando eles a ingressaram.

As relações entre a Otan e a Rússia foram restabelecidas em março depois de terem sido suspensas por causa da invasão russa da Geórgia em 2008.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG