Ex-líder de milícia pró-Indonésia se reunirá com Xanana Gusmão

Jacarta, 17 abr (EFE).- O ex-chefe da milícia pró-Indonésia no Timor-Leste Eurico Guterres anunciou hoje que se reunirá este mês com o primeiro-ministro deste país e seu antigo inimigo, Xanana Gusmão, para buscar a reconciliação entre indonésios e timorenses.

EFE |

Guterres disse à edição digital do diário "The Jakarta Post" que se reunirá no próximo dia 28 em Díli, capital do Timor-Leste, com Gusmão, a quem combateu durante anos quando o premiê era líder da resistência à ocupação militar indonésia.

O ex-chefe da milícia pró-Indonésia, que há dez dias foi absolvido de uma condenação a dez anos de prisão pelo assassinato em 1999 de 12 pessoas no Timor-Leste, assinalou que o processo de reconciliação passa pela Comissão da Verdade e Amizade, encarregada de investigar a onda de violência que ocorreu naquele ano na ex-colônia portuguesa.

Eurico Guterres, antigo líder do grupo paramilitar Aitarak, era o último dos 18 condenados pela violência de 1999 que ainda não tinha sido posto em liberdade pela Corte Suprema da Indonésia.

O Aitarak foi uma das milícias organizadas pelo Exército indonésio no Timor-Leste para fazer com que a população apoiasse a anexação à Indonésia no plebiscito auspiciado pela ONU em 30 de agosto daquele ano.

A recusa dos timorenses à integração gerou uma campanha de terror e destruição sistemática que acabou com 80% da infra-estrutura do pequeno território e que deslocou mais de 640 mil pessoas, 80% da população.

As Nações Unidas calculam que pelo menos mil pessoas morreram na violência anterior e posterior ao plebiscito.

A Indonésia, após ocupar por 24 anos a antiga colônia portuguesa, renunciou a seu domínio em outubro de 1999, momento no qual começou a reconstrução do Timor-Leste, que finalmente declarou sua independência em maio de 2002. EFE jpm/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG