Existem pontos fracos nos diques reforçados de Nova Orleans

O gigantesco programa de reconstrução dos diques destinados a proteger Nova Orleans, iniciado depois da trágica passagem do furacão Katrina em 2005, ainda não chegou sequer a sua metade.

AFP |

O diretor da Agência Federal para Situações de Emergência (Fema), David Paulison, declarou nesta segunda-feira que o corpo de engenheiros notificou que "os diques estão mais fortes, mais elevados, e acima da altura que estavam na época do Katrina".

"No entanto, ainda existem fragilidades no sistema de diques", ressaltou.

Cerca da metade da cidade está abaixo do nível do mar e do lago Pontchartrain, o que expõe muitos bairros a um risco elevado de inundações.

Com a chegada do furacão Gustav, acompanhado de chuvas torrenciais e ventos de 75 km/h, o destino de Nova Orleans repousa em seu sistema de diques.

Boa parte dessas construções cedeu ante a força do Katrina, em 29 de agosto de 2005, provocando a inundação de muitos bairros da cidade e a morte de 1.500 pessoas em Nova Orleans e 300 em outras cidades vizinhas.

O corpo de engenheiros do Exército americano (USAGE) se encarregou da reconstrução dos diques danificados, assim como do reforço de outras represas, numa rede que compreende 523 km.

As barreiras erguidas ao longo do lago Pontchartrain, por exemplo, foram elevadas entre um e cinco metros acima do nível do mar. Mas as obras ainda devem durar até 2011.

No total, 15 bilhões de dólares foram concedidos pelo Congresso a estas obras destinadas a proteger Nova Orleans e seus arredores de uma eventual alta das águas.

"Estes muros são muito seguros, mas estamos preocupados com uma eventual superação de sua altura", comentou o comandante Tim Kurgan, do corpo de engenheiros do Exército.

O governador da Louisiana, Bobby Jindal, declarou que os diques devem resistir ao furacão Gustav.

"Se a previsão do tempo estiver 100% certa, os diques resistirão às águas e apenas serão superados".

Entre as melhorias realizadas desde a época do Katrina, Paulison citou o sistema de bombeamento da cidade, capaz de, segundo ele, evacuar a água mais rapidamente do que antes.

mlm/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG