Exilados cubanos pedem libertação de presos políticos antes de negociações

Miami, 5 abr (EFE).- Europa, EUA e América Latina devem exigir que o Governo de Cuba liberte seus presos políticos antes de iniciar qualquer negociação para mudanças na ilha caribenha, disseram hoje diversos ativistas cubanos.

EFE |

O pedido à comunidade internacional foi aprovado no primeiro Congresso dos Presos Políticos Cubanos, que termina hoje em Miami com a participação de quase 800 ex-presos políticos cubanos residentes em EUA, Espanha, Porto Rico e Venezuela.

"Somos contra qualquer negociação que legitime a ditadura cubana.

Qualquer atitude para empreender mudanças tem que ser precedida da liberdade incondicional de todos os presos políticos", disse à Agência Efe Ángel de Fana, integrante da comissão organizadora do congresso.

Existem cerca de 300 presos políticos na ilha, número que se manteve desde que o presidente cubano, Raúl Castro, assumiu o poder após a doença de seu irmão Fidel, segundo números fornecidos pelo ativista cubano.

Fana destacou que o regime de Cuba tem que respeitar os direitos dos cubanos e deve cumprir esse requisito para participar de negociações.

Entre os presentes ao congresso estavam o anticastrista Luis Posada Carriles e o ex-comandante da revolução cubana Huber Matos.

EFE so/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG