Ex-guerrilheiro José Mujica é eleito presidente do Uruguai

O ex-guerrilheiro e ex-ministro de Agropecuária, José Pepe Mujica, de 74 anos, foi eleito presidente do Uruguai, em votação ocorrida no domingo. Na madrugada desta segunda-feira, segundo o jornal uruguaio El País, com 92,84% das urnas apuradas, Mujica tinha 53,2% dos votos, enquanto seu rival no segundo turno, o ex-presidente Luis Alberto Lacalle, tinha 42,7%.

BBC Brasil |

No discurso da vitória, em Montevidéu, Mujica defendeu a "unidade" do país. "Companheiros, (que não haja) nem vencidos nem vencedores. Nós apenas elegemos um governo, que não é dono da verdade. Meu reconhecimento aos homens que representam o Partido Nacional, o Colorado, o Independiente, compatriotas, todos", disse.

Sob chuva e vento, Mujica discursou ao lado do vice-presidente-eleito, Daniel Astori, para uma multidão que levava bandeiras com as cores da coalizão partidária Frente Ampla, que integram. "Companheiros, o mundo está ao contrário. Vocês deveriam estar aqui no palanque, e nós aí, aplaudindo vocês", afirmou Mujica ao público de seguidores.

Ele agradeceu ao atual governo do presidente Tabaré Vázquez, do qual foi ministro, e que registra altos índices de apoio popular. "Obrigado, Tabaré, porque ganhamos pela honra deste governo. (Faremos) a continuidade deste governo", destacou.

Mujica agradeceu ainda "aos irmãos da América Latina" e declarou: "Os que representam bem, mal ou regularmente as esperanças frustradas de um continente que tenta se juntar como pode - argentinos, chilenos, brasileiros, venezuelanos, bolivianos. Todos nos telefonaram, para nos dar um abraço. Obrigado, irmãos", discursou o presidente eleito.

Oposição
Mujica pediu "desculpas" aos adversários no segundo turno da corrida eleitoral, caso ele tenha se excedido nas palavras. "Se em algum momento meu temperamento de combatente me fez falar demais, peço desculpas".

Pouco antes do discurso de Mujica, o candidato da oposição, Lacalle, reconheceu a derrota e pediu a seus apoiadores "respeito" aos resultados. "Queremos parabenizar o senhor Mujica. E dizer que vamos respeitar nosso próximo presidente", afirmou.

Tabaré Vázquez telefonou para Lacalle e esteve pessoalmente com Mujica, logo após a confirmação da vitória de seu aliado na Frente Ampla. "Temos que festejar esta demonstração de respeito e tolerância que vivemos aqui no Uruguai, como em poucos países no mundo. Agora, vou abraçar o futuro presidente e os companheiros da vida toda", disse.

Prisão e guerrilha
Mujica é o primeiro ex-guerrilheiro a chegar à Presidência do Uruguai. Ele foi do grupo guerrilheiro MNL-Tupamaros e ficou preso durante 14 anos, antes e durante o regime militar no país (1973-1985).

Numa recente entrevista à BBC Brasil, quando perguntado sobre aqueles anos de prisão, Mujica disse: "O passado já passou. Para mim, importantes são presente e futuro".

Ele vai liderar o segundo governo da Frente Ampla, que chegou ao poder em 2004, na eleição de Tabaré Vázquez, após 167 anos de alternância entre os Partidos Blanco e Colorado.

Mujica e Astori tomam posse no dia 1º de março de 2010.

Leia mais sobre: Uruguai

    Leia tudo sobre: eleiçõesuruguai

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG