Ex-guerrilheira das Farc é condenada a 20 anos de prisão

Bogotá, 13 ago (EFE).- A ex-guerrilheira das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Elda Neyis Mosquera García, conhecida como Karina e que foi designada gerente de paz pelo Governo colombiano, foi condenada hoje a 20 anos de prisão, informou a Promotoria.

EFE |

Ela era acusada de desaparecimento à força com agravantes e recrutamento ilícito.

O Juizado Penal do Circuito Especializado de Sonsón, departamento de Antioquia, noroeste, emitiu a sentença e condenou Karina a pagar uma multa.

A investigação de um promotor de Direitos Humanos e Direito Internacional Humanitário (DIH) provou que entre 2000 e 2002, no município de Argelia, Antioquia, integrantes da frente 47 das Farc, liderada por Karina, recrutaram quatro menores, duas crianças e duas meninas.

O relatório indica ainda que dois desses menores foram executados pelos guerrilheiros, mas não se sabe em qual local os corpos foram enterrados.

A guerrilheira, uma das mais violentas das Farc, e Raúl Agudelo Medina, conhecido como "Olivo Saldaña", criador do movimento Mãos pela Paz, que busca a deserção em massa de rebeldes, foram nomeados em março pelo Governo como primeiros "gerentes de paz" para promover mais desmobilizações entre as fileiras da guerrilha.

Karina atualmente se encontra sob proteção do serviço de inteligência estadual (DAS), enquanto "Olivo Saldaña" está preso no sul de Bogotá. EFE apa/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG