Ex-guerrilheira das Farc aceita acusações por crimes

Bogotá, 8 jul (EFE).- A guerrilheira colombiana Nelly Ávila Moreno, conhecida como Karina, ex-chefe de uma facção das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), aceitou acusações por homicídio agravado, seqüestro extorsivo agravado e rebelião, informaram hoje fontes da Procuradoria Geral.

EFE |

Karina se entregou à Justiça no dia 18 de maio. A guerrilheira desmobilizada "assumiu sua responsabilidade nesses delitos, durante uma diligência de sentença antecipada" diante de um fiscal da Unidade de Direitos Humanos, acrescentaram as fontes.

A mulher assumiu ter cometido esses delitos em um ataque à base de Infantaria da Marinha e ao comando de Polícia e outros edifícios públicos na localidade de Juradó, no departamento de Chocó.

Essa ação foi perpetrada pelas Farc no dia 12 de setembro de 1999, quando morreram 24 integrantes das Forças Militares, e outros 37 ficaram feridos.

A guerrilheira, por quem se oferecia uma milionária recompensa em dinheiro, se entregou duas semanas após o presidente Álvaro Uribe garantir publicamente sua segurança. EFE rrm/rb/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG