Ex-guarda nazista se fez passar por vítima de guerra em 1948

John Demjanjik, o ex-guarda de um campo nazista suspeito de ter participado no extermínio de 29.000 judeus, se fez passar em 1948 por vítima de guerra e recebeu ajuda como refugiado, segundo documentos de arquivo consultados pela AFP.

AFP |

Ivan "John" Demjanjuk, 89 anos, que atualmente é objeto de um processo de expulsão dos Estados Unidos para a Alemanha, onde poderá ser julgado, pediu e recebeu depois da guerra o status de "deslocado", segundo os documentos.

Graças a isto ele conseguiu ajuda material antes de viajar para os Estados Unidos em 1952, segundo os documentos do Serviço Internacional de Investigações, um centro de arquivos sobre as 17,5 milhões de vítimas do nazismo administrado pela Cruz Vermelha em Bad Arolsen, centro da Alemanha.

Demjanjuk, de origem ucraniana, recebeu o status, concedido principalmente aos ex-presos de campos de concentração ou ex-trabalhadores forçados, afirmando ter trabalhado como motorista em Sobibor, campo de extermínio nazista no qual existe a suspeita de que atuou no massacre de judeus.

Os advogados de Demjanjuk - que em 1988 foi condenado a morte em Israel antes de ser absolvido pela Suprema Corte israelense pelas dúvidas sobre sua identidade - iniciaram uma batalha jurídica com a justiça americana para impedir a expulsão do cliente para a Alemanha, que deseja julgá-lo por seu suposto papel em Sobibor.

Demjanjuk, que vive nos Estados Unidos desde 1952, sempre afirmou ter sido obrigado a trabalhar para os nazistas e ter sido confundido pelos sobreviventes do campo com outros guardas.

ab/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG