Ex-funcionário da Imigração dos EUA na Venezuela recebeu suborno, diz jornal

Miami, 17 abr (EFE).- Um ex-funcionário do Escritório de Imigração e Alfândegas (ICE, na sigla em inglês) dos Estados Unidos em Caracas (Venezuela) recebeu suborno no valor de US$ 170 mil de uma empresa venezuelana de blindagem de veículos do país sul-americano, informou hoje um jornal local.

EFE |

Gerardo Chávez, agregado do ICE na embaixada dos EUA em Caracas entre 2000 e 2005, se declarou culpado em novembro do ano passado de receber mais de US$ 170 mil em subornos e aceitar a promessa de outro pagamento no valor de US$ 87 mil em troca de ordenar a compra de veículos blindados para diversas embaixadas da América Latina.

Segundo o jornal "El Nuevo Herald", além dos subornos, Chávez recebeu outros US$ 250 mil procedentes de investimentos "no polêmico mercado paralelo de divisas da Venezuela".

"Pérez, que não enfrenta acusações e colaborou com a investigação do FBI (FBI), obteve em março do ano passado um prazo de 60 dias para explicar a origem dos fundos", informa o jornal.

Acrescenta que, no momento de iniciar-se a investigação, o funcionário do ICE tinha sido promovido a subdiretor de Operações Internacionais em Washington.

Chávez foi condenado em um tribunal do estado da Virgínia a sete anos e meio de prisão pelas acusações de aceitação de suborno e lavagem de dinheiro, diz o periódico de Miami.

As autoridades americanas também confiscaram propriedades, contas bancárias de Chávez e os fundos depositados em um banco de Miami em nome de Roberto José Pérez Hernández, presidente e proprietário de Blindagens do Caribe, empresa de Caracas envolvida no pagamento de subornos. EFE emi/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG