Exército turco será questionado sobre papel em supostos planos golpistas

Istambul, 26 set (EFE).- O Estado-Maior do Exército turco será questionado sobre seu papel em supostos planos de golpes de Estado entre os anos 2000 e 2009, no julgamento que se segue contra a organização ultranacionalista Ergenekon.

EFE |

Segundo informou hoje a imprensa local, o tribunal de Istambul que examina o segundo sumário contra a suposta rede golpista decidiu questionar oficialmente ao Estado-Maior se tinha conhecimento ou não da existência de grupos dentro das Forças Armadas que prepararam diversos supostos planos de golpes de Estado para derrubar ao Governo democrático da Turquia.

Esta decisão foi tomada pelo presidente do tribunal, Hassan Hüseyin Özese, após escutar as declarações do acusado Tuncay Özkan, um jornalista de ideologia nacionalista.

Concretamente, se suspeita que durante o atual Governo do islamista moderado Recep Tayyip Erdogan, grupos ultranacionalistas dentro do Exército planejaram quatro golpes de Estado.

Estes planos foram desvelados em 2007 pela revista "Nokta", que publicou diários supostamente pertencentes a um almirante agora detido.

Segundo a Promotoria, Ergenekon é uma rede formada por membros das Forças Armadas, a Polícia, professores de universidade, jornalistas e políticos de ideologia ultranacionalista cujo objetivo seria semear o caos através de atentados e assassinatos para assim poder justificar uma intervenção militar.

No entanto, a oposição nacionalista argumenta que o tema de Ergenekon foi utilizado pelo Governo de Erdogan para livrar-se dos opositores.

O julgamento de Ergenekon se retomará na próxima segunda-feira na sala que examina o primeiro sumário contra a organização golpista e no próximo dia 12 de outubro na sala que examina o segundo sumário, no qual se questionará ao Estado-Maior. EFE amu/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG