Balsa com 24 a bordo fazia travessia entre duas cidades do golfo de Izmit. Sequestrador foi identificado como separatista curdo

Comandos especiais do Exército turco invadiram na madrugada deste sábado uma balsa sequestrada na sexta-feira por um suposto membro do grupo separatista curdo PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão), morto durante a ação, e libertaram 24 passageiros e tripulantes, informou a delegação do governo em Istambul.

A balsa de passageiros Kartepe é cercada pela guarda costeira depois de uma operação de comandos do Exército contra sequestrador no mar de Marmara, Turquia
AP
A balsa de passageiros Kartepe é cercada pela guarda costeira depois de uma operação de comandos do Exército contra sequestrador no mar de Marmara, Turquia
A balsa Kartepe, de propriedade municipal, fazia o trajeto entre duas cidades do golfo de Izmit, situado na parte mais oriental do mar de Mármara, quando foi sequestrado por volta das 13h45 (de Brasília) de sexta-feira. O sequestro durou 12 horas.

De acordo com o ministro do Interior turco, Idris Naim Sahin, o sequestrador foi identificado como Mensur Guzel, afirmando que ele era líder da ala juvenil do grupo rebelde turco na Província de Kocaeli, no noroeste do país. Segundo o ministro, ele vestia um colete-bomba com 450 gramas de explosivos plásticos A4.

Durante a ação, o sequestrador confiscou os telefones de todos os passageiros e rendeu o capitão. O navio se deslocou em direção ao oeste até chegar a Silivri, na margem europeia de Istambul, mas teve que parar nos arredores da metrópole turca por causa da falta de combustível.

Por meio do capitão, o sequestrador fez chegar aos agentes da Guarda Costeira uma mensagem pedindo combustível, água e alimentos. Três navios da Guarda Costeira vinham seguindo a balsa e neles estavam infiltrados comandos especiais do Exército.

Na madrugada, às 1h35 (de Brasília), os comandos entraram em ação em "uma bem-sucedida operação conjunta com as forças de segurança" e "o sequestrador acabou morto", informou o delegado do governo em Istambul, Huseyin Avni Mutlu, acrescentando que os passageiros estão bem.

*Com EFE e AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.