País afirmou também que não tomará medidas contra os dois soldados que efetuaram os disparos. Aeronave da Asiana Airlines estava fora do alcance dos tiros

O Exército da Coreia do Sul se desculpou nesta segunda-feira pelos disparos que dois soldados da fronteira fizeram contra um avião de passageiros na sexta-feira ao confundi-lo com uma aeronave norte-coreana, sem ocasionar danos. "O Exército pede desculpas sinceramente ao povo por causar preocupações devido ao incidente", indicou nesta segunda-feira o porta-voz do Estado-Maior, o coronel Lee Bung-woo.

As autoridades militares não tomarão medidas disciplinares contra os dois soldados que dispararam seus rifles às quatro horas da manhã de sexta-feira, pouco antes do amanhecer e no meio de um espesso nevoeiro, de um posto de guarda perto da fronteira com a Coreia do Norte. O avião da companhia sul-coreana Asiana Airlines, com 119 pessoas a bordo, não sofreu marcas de bala, já que se encontrava fora do alcance dos tiros dos rifles.

O Exército disse que os dois soldados, que se encontravam na ilha fronteiriça ocidental de Gyo-dong, atuaram de acordo com as regras ao realizar disparos de advertência contra um avião que consideraram inimigo. No entanto, se reforçará o treino dos soldados para que distingam melhor dos aviões civis e prevenir incidentes similares.

O jornal sul-coreano "Joongang Ilbo" indicou nesta segunda-feira que, segundo fontes governamentais e da própria companhia aérea, o avião da Asiana seguia sua rota habitual procedente do aeroporto de Qingdao (China). Este incidente evidencia a alta tensão que existe na fronteira com a Coreia do Norte no Mar Amarelo (Mar Ocidental) depois dos dois ataques, atribuídos a Pyongyang, no ano passado contra Coreia do Sul.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.