Exército peruano vai intervir em protestos indígenas na Amazônia

O governo do Peru autorizou que o Exército apoie a polícia por 30 dias, na escalada de disputas sobre recursos da Amazônia com tribos indígenas. As forças armadas vão intervir para garantir o funcionamento de estradas, aeroportos e outros serviços essenciais, informou o ministro da Defesa peruano, Antero Flores Aráoz.

BBC Brasil |

Na véspera, manifestantes anunciaram que iam começar uma insurgência para defender seus direitos, mas a ameaça depois foi retirada. Cerca de 30 mil manifestantes vêm protestando na região da Amazônia peruana há um mês.

O presidente Alan García disse que todos os peruanos devem se beneficiar dos recursos naturais do país, e não apenas "um pequeno grupo de pessoas que mora lá".

"Temos que entender que, quando há recursos como petróleo, gás e madeira, eles não pertencem apenas às pessoas que tiveram a sorte de nascer lá", disse García.

De acordo com a constituição peruana, o Estado é dono da riqueza mineral e de hidrocarbonetos do país.

Territórios antigos

Na sexta-feira, Alberto Pizango, o chefe da organização peruana de índios da amazônia (AIDESEP, na sigla em espanhol), disse que o diálogo com o governo havia sido interrompido.

Segundo Pizango, seus territórios estavam sendo entregues a multinacionais sem que a população tenha sido consultada. Mas ele negou que seu movimento - que reúne 65 grupos indígenas - seja contra o progresso. "O que queremos é desenvolvimento sob nossa perspectiva", disse ele.

No dia 8 de maio, o governo do Peru decretou estado de emergência por 60 dias em partes da Amazônia peruana, onde manifestantes interromperam serviços de transportes, incluindo aeroportos e pontes.

Há grandes interesses em jogo, segundo o correspondente da BBC em Lima Dan Collyns. No mês passado, a empresa de petróleo francesa Perenco prometeu investir US$ 2 bilhões apenas em um campo de petróleo na selva.

As comunidades indígenas reclamam que cerca de 70% do território da Amazônia peruana está sendo "alugado" para a exploração de gás e petróleo, colocando em risco tanto suas vidas como a biodiversidade da região.

A Amazônia peruana é a maior área da floresta fora do território brasileiro.

    Leia tudo sobre: amazoniaamazônia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG